quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Tudo sobre a Pippi das Meias Altas

Lembram-se desta menina?
 
Pippi das Meias Altas (em Portugal), Pippi Meia Longa no Brasil, Pippi Calzas Largas em Espanha, Pippi Longstocking no Reino Unido e  no original  Pippi Långstrump, é a personagem que dá título a uma série de livros infanto-juvenis da autora sueca Astrid Lindgren.
E aqui está a Astrid ao lado da nossa Pippi no set das filmagens:
            
Curiosamente, a personagem foi criada pela Astrid para entreter a sua filha Karin que estava acamada.
A colecção que tinha como personagem principal uma  irreverente menina sardenta das tranças ruivas vendeu mais de 145 milhões de exemplares, tendo sido traduzida em 91 idiomas.
                     

                        

Foi transformada em série de televisão, entre 1969 a 1973 e teve sempre a carismática Inger Nilsson como actriz.


E aqui está a Inger sem as suas tranças, à "paisana":

Hoje, a Inger é uma respeitável senhora de mais de 50 anos que lamenta  que a Pippi tenha ficado colada à sua imagem,  já que o seu trabalho tem sido diversificado, nomeadamente na televisão sueca e alemã, onde tem tido algum êxito.





E esqueçam as notícias de uma actriz americana de segunda categoria e de um suposto vídeo caseiro com o namorado. … A tal actriz de nome Tami Erin, apenas, interpretou a nossa Pippi no cinema, numa versão americana e não tem nada a ver com a actriz do nosso tempo.

Para além desta série, houve e ainda outras versões, nomeadamente uma soviética, em 1982 e uma americana, em 1988. 

Entre nós, a série "Pippi das Meias Altas" passou na RTP em meados dos anos 70, por isso a preto-e-branco.

                   

Pippi destacava-se pela sua irreverência, permanente boa disposição mas sobretudo pela sua coragem e incrível força, que lhe permitia pegar com facilidade nas coisas mais pesadas. E essa era a  característica que mais fascinava as crianças de então, para além de, obviamente, viver com um cavalo e com um macaco e passar o dia em mil e uma aventuras.

Por cá também houve a caderneta de cromos e uma reedição em vhs e mais recentemente em dvd dos episódios da Pipi, mas já a cores.

       

Podem ver todos os episódios aqui, mas avisamos já, por experiência própria, que toda a família vai começar a cantar bem alto: “Pipi meias altas, Pipilota para os meninos sou, Sim, senhora, essa sou eu”!

Nos países nórdicos, a febre da menina ruiva de tranças e meias coloridas continua…
Há todo um merchandising em torno da personagem inacreditável, um festival anual na Eslovénia em que toda a gente se mascara de Pipi e é uma temática habitual para festas de aniversário.

E, por isso, queridos Índios e Cowboys, deixamo-los com estas imagens que deviam ter como música de fundo, “Vamos lá brincar na minha casa que é como um castelo…”

E apresentem a Pippi aos vossos pequenos Índios e Cowboys.
Garantimos que eles vão agradecer.
 






 




                          








          

 

 

2 comentários:

  1. Adorei saber que esta personagem está de volta. Não tenho muitas memórias, pois eu era muito pequena quando passou na televisão, Acho até que era passado na língua original, e eu era demasiado nova para conseguir ler as legendas completamente. Estava para aí na 1ª ou 2ª classe.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...